Uncategorized

Revista de Sociologia e Política – Structural causes and regime consequences: regimes as intervening variables

O pessoal da Sociologia e Política (UFPR), com excelente trabalho… Publicam no número de junho/2012  artigo clássico de Stephen Krasner (Causas estruturais e consequências dos regimes internacionais: regimes como variáveis intervenientes).

RESUMO
Os regimes internacionais são definidos como princípios, normas, regras e procedimentos de tomada de decisões ao redor dos quais as expectativas dos atores convergem em uma dada área-tema. Como ponto de partida, os regimes são conceituados como variáveis intervenientes, estando entre fatores causais básicos e os resultados e comportamentos relacionados. Há três visões a respeito da importância dos regimes: as orientações estruturais convencionais desvalorizam os regimes como sendo, na melhor das hipóteses, ineficazes; as orientações grocianas vêem os regimes como componentes íntimos do sistema internacional; as perspectivas estruturalistas modificadas vêem os regimes como significativos somente em certas condições restritas. Para os argumentos grociano e estruturalista modificado – que concordam com a visão de que os regimes podem influenciar resultados e comportamentos – , o desenvolvimento de regimes é visto como uma função de cinco variáveis causais básicas: auto-interesse egoísta; poder político; normas e princípios difusos; usos e costumes; conhecimento.

Palavras-chave: regimes internacionais; variáveis intervenientes; comportamento; grocianismo; estruturalismo modificado.
Padrão

Deixe uma resposta