Para os meus alunos

Como as coisas mudaram tanto em tão pouco tempo

É claro que fico entristecido quando tenho que convidar um aluno a se retirar da minha sala de aula. Sempre acreditei que na Universidade isso não seria mais necessário, mesmo porque lidamos com adultos que ali estão por livre e espontânea vontade. Mas o fato é que os problemas de disciplina têm se repetido com tanta frequência e intensidade que concluí que estamos diante de uma mudança generalizada de padrões de comportamento, o que se indica pelo que eu considero como as mais simples e grosseiras manifestações de falta de educação (especialmente daquela noção de comportamento em ambientes públicos que se aprende em casa).

Creio que para esse mal não há cura, mas sempre é possível lembrar ao alunado em sala de aula algumas regras de bom senso, que não teriam que ser ensinadas. Por isso, incluí nos programas das minhas disciplinas da graduação, com algum pesar, um pequeno rol de “regras de etiqueta em sala de aula”. Seguem abaixo:

  1. As aulas terão início por volta de 14 horas. Chegue no horário, pronto para ficar – vá ao banheiro, telefone e resolva todos os seus problemas antes de tomar assento;
  2. Não marque compromissos no mesmo horário da aula, para evitar saídas intepestivas ou chegadas em atraso;
  3. Alimente-se e hidrate-se antes da aula. Lembre-se que uma sala de aula não é ambiente adequado para a sua refeição;
  4. Os aparelhos celulares devem permanecer desligados;
  5. O debate aberto é incentivado, em momento oportuno. De resto, as conversas paralelas atrapalham a dinâmica da aula e a concentração do grupo.

Sinceramente, imagino que essas regras não desaparecerão dos meus programas nem tão cedo. É provável que eu me acostume antes com o comportamento selvagem de uns e de outros, e que simplesmente pare de me importar. Torço, é claro, para voltar a encontrar jovens brilhantes, interessados e, por que não, educados, em todos os santos dias em que eu cruzar a porta de uma sala de aula.

Padrão

Um comentário em “Como as coisas mudaram tanto em tão pouco tempo

  1. Josi disse:

    Concordo com todas as afirmações referentes à má educação que se alastrou por todos os cantos. Mas, não seria o caso de rever a Educação de uma forma generalizada? O aluno se acostuma com as facilidades que a própria escola impõe. Hoje, por exemplo, o governo lança todos os programas possíveis de facilitar que o aluno passe de ano. Não importa se aprendeu ou não. O que interessa são números no final.

Deixe uma resposta